O que é Inbound Marketing

É sempre um grande desafio definir o que é Inbound Marketing. Não dá para resumir em algumas sentenças, pois o conceito é amplo e bem característico. Porém se há uma coisa que podemos afirmar, é que uma forma de marketing que se encaixa perfeitamente nas necessidades e desejos do cliente, mesmo sendo um conceito novo. A ação se baseia na ideia de criação e compartilhamento de conteúdo voltado para um público-alvo específico, para conquistar a permissão de comunicar com seu público de forma direta criando um relacionamento que pode ser duradouro.

Expondo com mais clareza, Inbound Marketing é qualquer forma de marketing que visa ganhar o interesse das pessoas. Diferente da forma tradicional de marketing, o Outbound Marketing, que oferece diretamente produtos ou serviços aos clientes.  Alguns dizem que o Inbound marketing se divide em três pilares: SEO, Marketing de Conteúdo e Estratégia em Mídias Sociais. Mas reduzi-lo a isso é um tanto falho, pois não há limite para se fazer Inbound, a não ser a criatividade de quem o faz.

Estatísticas:

  • Custa 62% mais barato que Outbound Marketing.
  • Com o Inbound Marketing, empresas que utilizam blogs conseguem 97% mais links apontando para sua plataforma.
  • A média de ROI (retorno sobre investimento) produzido pelo Inbound Marketing é de 275%.
  • Em média 92% dos profissionais de marketing americanos afirmam que o Inbound Marketing é imprescindível para as empresas, diante da economia atual.

Conheça mais 25 estatísticas que comprovam os benefícios do Inbound Marketing.

Formas de se fazer Inbound Marketing:

Existem inúmeras, talvez infinitas formas de se praticar essa forma de marketing. Como o foco está em produzir e compartilhar conteúdo atraente conheça alguns formatos:

  • Publicação de posts de blog;
  • Divulgação de Infográficos;
  • Ebooks e Whitepapers;
  • Webinars e Podcasts;
  • Relações Públicas;
  • Questionários;
  • Guest posting;
  • Social Bookmarking;
  • Fóruns online;
  • Vídeos online;
  • Marketing em Comentários;
  • E-mail marketing;
  • SEO;
  • Conteúdo em Mídias Sociais;
  • Estratégias em Blogs;

“Diferente do marketing e da publicidade tradicional, o Inbound Marketing atrai, ao invés de interromper. Ele se inclina a melhoria seu negócio, propriamente dita, e não na captação direta de clientes. Em contrapartida, eles acabam sendo atraídos pelo que marca cria e divulga”.

Origem

O Inbound marketing vem sendo praticado há tempos por profissionais de marketing, mesmo de forma inconsciente. O marketing que tem foco no conteúdo, que eleva o objetivo de oferecer informações relevantes, de publicar algo que agregue valor, tangível ou intangível ao cliente em potencial, pode ser considerado Inbound Marketing.

Segundo a agência Blueberry,  o termo começou a ser usado a Brian Halligan, co-fundador da empresa Hubspot. Porém, segundo o guru americano Peter Druker, os princípios do Inbound Marketing já se desenvolvem há décadas e tem sua fundação principal baseada no conceito de Seth Godin, o Marketing de Permissão, o qual publicou o livro com o título “Permission Marketing” em 1999, contendo boa parte dos princípios utilizados no Inbound Marketing. Alguns anos depois, Halligan escreveu um livro sobre o tema e você pode conferir neste post.

Se nós aprofundarmos, veremos que conceito surge paralelo ao marketing digital, e da relação entre o consumidor e publicidade, nesse caso, internauta e comunicação de massa online. Anteriormente, fora da web, o consumidor não obtinha o total controle sobre as informações recebidas, por isso dizer que a publicidade tradicional interrompe o processo de comunicação.

Exemplificando, na publicidade televisiva, enquanto a intenção do consumidor é entreter-se com a programação do canal, entra o período comercial com campanhas que enviam ao cérebro “mensagens indesejadas” sobre determinado produto ou serviço. O mesmo vale para um outdoor e outras formas. Muitas vezes essa mensagem será descartada.

Na internet, porém, o controle do consumidor sobre os canais é total. Podendo ele escolher o que deseja ler, observar ou assistir, entre milhões de sites na internet, canais no YouTube e fanpages no Facebook, por exemplo. Significa que o usuário pode se incomodar com o que recebe de forma agressiva, desconfiando e questionando, e, sem sombras de dúvidas, se dispondo a enfrentar as grandes marcas. Algo que anteriormente, não era praticado pela “falta de poder”.

Então, se o consumidor agora tem o poder de “deletar” sua campanha e jogar seus esforços no lixo, nada melhor do que conquistá-lo com o que ele mesmo deseja absorver. Daí surge a importância de se trabalhar com planejamentos estratégicos inteligentes e com ações de alta performance. O Inbound é como um “imã”, que atrai o cliente através do conteúdo publicado.

Entendendo o processo

Podemos dividir o processo de Inbound Marketing em 5 etapas principais:

  1. Atrair tráfego;
  2. Converter visitantes em leads;
  3. Converter leads em vendas;
  4. Fidelizar os clientes e aumentar as margens;
  5. Encantar seus clientes e transformá-los em promotores;

Tudo isso deve se encaixar em Lugar, Tempo e Conteúdo. Quer dizer que quando produzimos e entregamos o conteúdo certo, no momento e no local correto, as pessoas absorvem melhor a informações e ficam mais propensas a interagir. Através do Inbound marketing, as marcas são encontradas mais facilmente na rede e os consumidores direcionados aos sites, através da geração de conteúdos que agreguem valor.

Para isso deve-se entender e trabalhar em cima dos seguintes princípios:

  • Marketing de Conteúdo – É necessário produzir conteúdo de qualidade para pessoas certas. Fazer uma pesquisa para definir as personas, o público que comprará de você é muito importante, bem como também saber qual o tipo de conteúdo ela absorverá melhor.
  • Ciclo de Compra – Para fazer que visitantes se tornem clientes ativos, entender cada fase do processo é essencial. Nessa etapa entra o conhecido funil de conversão, uma espécie de passo a passo até a venda.
  • Personalização – Quanto mais se conhece os leads, mais dinâmico se torna o processo. Estar atento as deixas de lançar conteúdo é um grande diferencial para quem deseja trabalhar com Inbound Marketing. Busque sempre personalizar suas publicações e lançamentos.
  • Estratégia em Multicanais – A comunicação com os leads pode fluir de diversos canais, por isso estude onde eles estão. Obtenha informações, tipo: se ficam muito tempo no Facebook, ou fazem mais pesquisas no Google, se leem posts a seu respeito, etc.
  • Interação – Para fechar o clico, a interação deve ser precisa. Todo conteúdo lançado deve ser medido e mensurado com cuidado, para que a estratégia seja, de fato, eficiente.

Benefícios do Inbound Marketing para sua marca

Independentemente  se sua empresa é B2B ou B2C, o Inbound Marketing contribui muito para a construção e consolidação da marca. A captura de mais leads qualificados para vendas se torna um objetivo tangível, e a incerteza de retorno, característica do Outbound Marketing, deixa de existir. Como a própria Hubspot define, com o Inbound Marketing as pessoas são levadas a amar sua empresa.

7 Razões para adotar o Inbound Marketing em sua empresa

  1. Empresas que executam estratégias através de blogs com conteúdo de qualidade e relevante, tendem a conquistar de tráfego, 55% a mais que sites sem blog. Isso mostra que o conteúdo estratégico aumenta potencialmente a quantidade de usuários que, de alguma forma, se relacionarão com a marca.
  2. Cerca de 70% dos usuários de internet clicam em links resultados de busca orgânica, ao invés de anúncios pagos. Esse dado deixa claro que o SEO tem muita importância para o bom posicionamento de uma companhia, produto ou serviço na internet.
  3. O bom relacionamento criado com o visitante através do Inbound faz com que ele se torne um fã da marca, vindo a divulgar seus pontos fortes. O motivo é claro: se ele percebe a qualidade e a relevância do que é oferecido, irá, de forma natural, promover a marca por uma questão de confiança.
  4. Muitas empresas relatam que aproximadamente 57% dos contatos de clientes online adquiridos vieram dos blogs.
  5. Atualmente, estar presente nas redes sociais é imprescindível. Cerca de 66% dos gerentes de marketing acreditam que o blog, é, de fato, importante para a empresa. Além do mais, 83% dos gestores afirmam que a presença no Facebook é essencial.
  6. O Inbound Marketing permite identificar com mais precisão quem está interessado nos produtos e conteúdos, ou seja, quem é o público alvo e como satisfazê-lo.
  7. O Inbound Marketing irá se tornar indispensável (já está acontecendo) em poucos anos, pois a evolução da sociedade, e automaticamente do mercado, mostra que é necessário um comunicação direta e precisa com o cliente, atraindo, hora certa, quem realmente está interessado na marca.

As quatro ações de marketing

Atração

Ninguém deseja qualquer tráfego em sua plataforma, pois obviamente, o tráfego certo é o que gera resultados. Quem são e como encontrar essas pessoas certas? Nessa etapa é muito importante definir e conhecer quem são as buyer personas. Resumem-se em ideais holísticos o que seus clientes realmente gostam e precisam. Usando um termo simples, é uma simulação do perfil do cliente.

Definir personas é abranger os objetivos, desafios enfrentados, dificuldades, objeções comuns, e também informações pessoais e demográficas compartilhadas entre todos os indivíduos deste grupo. Esses personagens definem as pessoas que estão em torno do seu negócio.

No Inbound Marketing, as ferramentas mais usadas para a atração dos usuários certos para o seu negócio digital são:

  • Blog – O marketing de atração quase sempre começa com blog. Este tipo de plataforma é, sem dúvidas, a melhor forma de atrair novos visitantes para o site principal. Então, basicamente, para ser encontrado por seus potenciais clientes, você precisa criar conteúdo educacional de qualidade que fale o que eles querem e precisam ouvir. O blog é o melhor canal para fazer isso.
  • Mídias Sociais – Na ordem, geralmente, as mídias sociais ficam após o blog, pois tudo o que é postado nele, deve ser compartilhado nas mídias sociais. Esta é uma forma perfeita de envolver os usuários, humanizando, de certa forma, a marca. Interaja com seus consumidores nas redes!
  • SEO/Palavras Chave – É comum que os consumidores iniciem o processo de compra on-line usando os mecanismos de busca (Google, Bing, Yahoo) para encontrar o que precisam. Por essa razão, você precisa garantir que seu site apareça em destaque nas buscas. As técnicas de SEO são indispensáveis nesse quesito, mas é preciso cuidado ao escolher os termos de busca (palavras chave), otimizar as páginas, criar o conteúdo e agregar links em torno do que os usuários estão buscando.
  • Sites – Seu site merece um cuidado especial na fase da atração. Usando uma comparação, o site precisa realmente “falar” com seus potenciais compradores. Então, faça com que sua plataforma seja uma fonte valiosa de conteúdo. Isso vai atrair as pessoas para seu negócio digital!

Conversão

A segunda fase acontece quando os visitantes já estão no site. O objetivo agora é convertê-los em clientes. A melhor forma é coletar informações de contato, como nome e email. Essas informações são de grande importância para a estratégia de Inbound Marketing.

Aqui entra uma informação básica, mas essencial: Para que os visitantes lhe forneçam os dados, você deve oferecer algo em troca. Novamente temos a presença do conteúdo, principalmente de materiais ricos, como ebooks, documentos, podcasts, dicas exclusivas ou qualquer informação que agregue valor ao visitante e futuro cliente.

Confira agora algumas ferramentas importantes na conversão de visitantes para clientes:

Call to Action –  Trata-se de botões ou links que conduzem os visitantes a ações, como o fazer um download de um ebook. Se você não providencia essas chamadas para ação ou se suas chamadas não são suficientemente atraentes, a geração de clientes não acontece.

Landing Pages - Quando o visitante do site clica em algum Call-to-Action, é enviado para uma página de destino. Essas são as Landing Pages, o local onde a oferta anunciada se torna real. É nesse momento que as informações do lead são enviadas para que você ou sua equipe de vendas inicie uma conversa com ele. Aprenda como montar uma boa landing page.

Formulários – Essa ferramenta agrega-se a anterior, pois para que os visitantes se tornem clientes em potenciais, precisam preencher um formulário e ceder as informações necessárias, e o formulário tem esse objetivo.  Seja o mais simples possível, não faça muitas perguntas, solicitando apenas o essencial, para que o visitante não desista antes do fim.

Contatos – Após receber as informações dos visitantes, você precisa convertê-las em um banco de dados organizado. As listas são determinantes para a continuação do processo de comunicação e para a venda propriamente dita.

Fechamento

Chegamos à terceira etapa do processo: o fechamento. Agora que você já atraiu os visitantes certos e converteu-os corretamente em leads, precisa transformá-los em clientes, de fato. Mas como fazer isso de forma efetiva?

Veja as ferramentas usadas nessa fase:

  • E-mail – Vamos supor que você tenha um cliente que fez o cadastro, tornou-se um lead, mas ainda não está pronto para a compra. O que fazer com ele? A ideia é alimentar a comunicação com ma série de e-mails com conteúdo útil e relevante. Construindo assim, a confiança da empresa com ele. Até que ele fique convicto que pode comprar com você. Aprenda tudo sobre e-mail marketing neste post.
  • Automação de Marketing – Esta fase envolve a criação de emails adaptados às necessidades do lead, bem ao estágio do ciclo de vida dele com a empresa. Explicando, se um visitante baixou um ebook sobre um determinado tema da sua empresa há seis meses, você pode enviar uma série de e-mails relacionados ao que foi tratado no formato. Mas se por acaso ele conheceu seu trabalho no Facebook e visitou algumas páginas do seu site, você pode mudar a abordagem para elucidar interesses diferentes, conduzindo-o a compra.

Fidelização

Cada etapa do Inbound marketing tem sua importância, mas essa fase da fidelização é especial. É aqui que você ganha o cliente! Mesmo que ele já tenha adquirido seu produto, não caia na besteira de abandoná-lo e perdê-lo para o concorrente. Empresas relevantes continuam se envolvendo, encantando e transformando sua lista de clientes em fãs e divulgadores de seu negócio. Fala isso!

As ferramentas usadas para encantar e fidelizar clientes incluem:

  • Personalização do seu site – Alteram a usabilidade do seu site de acordo com o ciclo de vida do cliente.
  • Mídias Sociais – O uso das plataformas de mídias sociais trás diversas oportunidades de atender ao cliente em tempo real. Dê atenção a esses canais em sua ação de Inbound Marketing.
  • Email Marketing e Automação – Direcionar conteúdo de alta qualidade para os clientes fiéis irá ajudá-lo a alcançar grandes resultados. Seja na introdução de novos produtos e recursos que de interesse deles, ou até mesmo na venda de outros produtos ainda não adquiridos.

Enfim, esperamos que tenham gostado deste post, que foi preparado com muito carinho por nossa equipe. Não deixe de conferir o nosso Guia Definitivo do Inbound Marketing!

Fonte: Rock Content - Autor: Vitor Peçanha
---------------------

A LM Designs desenvolve várias ferramentas para o processo de inbound marketing do seu negócio funcionar muito bem. Comece agora mesmo clicando no botão abaixo e não esqueça de acessar seu e-mail para confirmação.


Compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notificação de

wpDiscuz